contribuidoras / contributors

Eulina Farias tem 38 anos, é casada e trabalha em vendas. Deividy é seu único filho, e atualmente ela se encontra desempregada mas vivendo por Deividy.

Jéssica de Sá Valdinucci tem 23 anos, mora em Salvador, Bahia, é mãe da princesa Aila, é mulher guerreira e está apaixonada pelas coisas simples da vida.

Joana Passos tem 37 anos, é casada e tem duas filhas: Alice, de 7 anos, e Gabriela (Gabi), de 3. É formada em administração, e é fundadora e presidente da ONG Associação Abraço a Microcefalia. Desde que a filha Gabi nasceu com a síndrome congênita do Zika vírus, ela também estuda desenvolvimento infantil.

Mara Rúbia Oliveira tem 34 anos, é mãe solteira e mãe de Benjamin. Ela estudou assistência social mas não terminou o curso, e agora se dedica ao cuidado de Ben, que nasceu com a síndome congênita do Zika vírus. Faz parte do Núcleo de Pais da ONG Abraço a Microcefalia.

Marione Barros tem 26 anos e é mãe de Safira. Ela já trabalhou como operadora de cobranças, mas hoje em dia se dedica plenamente a Safira. Mora em Salvador, Bahia.

Mila Mendonça tem 37 anos, é casada e tem dois filhos: Bia, de 5 anos, e Gabriel, de 3 anos. Ela é advogada e também vice-presidente da ONG Abraço a Microcefalia, da qual foi uma das fundadoras.

Flaviana Oliveira tem 25 anos e é mãe de Jhulia. Ela trabalha com vendas quando dá, mas se dedica em tempo integral ao cuidado da filha.

Jiliane Santos tem 26 anos, mora em Simões Filho-Bahia e é mãe de Cássia Luanny de 4 anos. É casada, trabalhava como vendedora e hoje a sua vida é 100% dedicada à sua filha que nasceu com a Síndrome Congênita do Zika Vírus.

Eliza Williamson é doutora em antropologia, e atualmente faz pós-doutorado na Washington University in St. Louis. Desde 2016, ela acompanha um grupo de famílias que cuidam de crianças com a Síndrome Congênita do Zika Vírus na Bahia, pensando sobre questões de cuidado, deficiência e direitos no “depois” da epidemia do Zika. Quando morava em Salvador, também foi voluntária da ONG Abraço a Microcefalia.

 


 

Eulina Farias is 38, married and works in sales. Deividy is her only child, and she is currently unemployed and lives for Deividy.

Jéssica de Sá Valdinucci is 23, Brazilian, lives in Salvador, Bahia, is the mother of princess Aila, warrior woman (mulher guerreira), and is in love with the simple things in life.

Joana Passos is 37 years old, is married, and has two children: Alice, who’s 7, and Gabriela (Gabi), who is 2 going on 3. She has a degree in business administration, and is the founder and president of the NGO Abraço a Microcefalia. Since her daughter Gabi was born with congenital Zika syndrome, she has also been studying child development.

Mara Rúbia Oliveira is 34, a single mother, and Benjamin’s mom. She studied social work but didn’t finish, and now she dedicates herself to caring for Ben, who was born with congenital Zika syndrome. She is a member of the Parents’ Nucleus in the NGO Abraço a Microcefalia.

Marione Barros is 26, mother of Safira. She used to work in telemarketing, but now she is dedicated full time to Safira. She lives in Salvador, Bahia.

Mila Mendonça is 37, married with two kids: Bia, 5 years old, and Gabriel, 3 years old. She is a lawyer and is also vice president of the NGO Abraço a Microcefalia, of which she was one of the founders.

Flaviana Oliveira is 25 and the mother of Jhulia. She works in sales when she can, but she cares for her daughter full time. She lives in Salvador, Bahia.

Jiliane Santos is 26 years old, lives in Simões Filho, Bahia, and is 4-year-old Cássia Luanny’s mother. She is married, used to work as a salesperson, and now she dedicated her life 100% to her daughter, who was born with Congenital Zika Syndrome.

Eliza Williamson, PhD is a cultural anthropologist, and currently in a postdoctoral fellowship in Latin American Studies at Washington University in St. Louis. Since 2016 she has followed a group of families caring for children with SCZV in Bahia, thinking about questions of care, disability, and rights in Zika’s aftermath. When she lived in Salvador, she also volunteered at Abraço a Microcefalia.