Levando Aila na Emergência / Taking Aila to the Emergency Room (Jéssica)

Levando Aila na Emergência

por Jéssica de Sá Valdinucci, mãe de Aila

Ontem eu decidi não me abater…

Depois de noites sem dormir, e percebendo que Aila sentia dores na região da gastrostomia, resolvi levá-la na emergência.

Levantei às seis da manhã, tomei um gole de café e arrumei ela. Dessa vez foi diferente: decidimos seguir sozinhas, não falamos a ninguém que iríamos sair. Estava cansada demais para dar explicações. Saímos em silêncio. Carreguei Aila e uma sacola pesada e fui para o hospital com ela no colo.

Logo no ônibus ouvimos o cobrador conversando com o motorista, dizendo que o elevador para cadeirante estava quebrado. O motorista disse que era ótimo porque não atrasaria viagem pegando a raça dos cadeirantes…

Aquilo me partiu o coração e meus olhos se encheram de lágrimas. Mas eu não ia me abater. Segui a viagem acreditando que existem pessoas boas e pessoas ruins nesse mundo, e que eu iria dar espaço para as boas.

Chegamos no hospital, e olha, o atendimento foi rápido (o que geralmente não acontece). Aila fez exames, e teríamos que aguardar das 8 às 13 horas, pois o médico cirurgião não estava. Tudo bem, eu não iria me abater. Ficamos sentadas em uma cadeira com meu braço já dolorido do peso de Aila. Decidi conversar com a paciente ao lado, e olha, o tempo passou rápido–já era meio-dia!

Um dos técnicos de enfermagem olhou para mim e falou: “Nossa, mãe, ela é especial. Você não pensou em interromper a gravidez?” Eu disse que não, que se eu fizesse isso perderia a melhor parte de mim!

O médico chegou. Eu já estava azul de fome e com a pressão super baixa. Mas Aila estava sem sinais de infecção; retornaríamos na segunda-feira pra analisar a troca do botton. Chegamos bem e tranquilas. Apesar de todo obstáculo, decidimos estar unidas e felizes, e deu tudo certo.

*Aila tem uma sonda de alimentação por gastrostomia, que permite ela a se alimentar através de um tubo conectado diretamente ao estómago. Estas sondas são para crianças que têm dificuldade significativa em mastigar e tragar comida, como as que têm disfagia.
** Um botton de gastrostomia é um componente substituível do sistema de alimentação gastrostomia, pelo qual comida, líquidos, e remédios são inseridos. Os bottons devem se manter limpos para evitar infecção e substituídos com freqüência.

 

Taking Aila to the Emergency Room

by Jéssica de Sá Valdinucci, mother of Aila

Yesterday I decided not to let myself get down (me abater)…

After several nights without sleep, noticing that Aila was feeling pain around her gastrostomy tube, I decided to take her to the emergency room.* I got up at six in the morning, took a gulp of coffee, and got her ready. This time it was different; we decided to go by ourselves; we didn’t tell anyone that we were going out—I was so tired of giving explanations. We left in silence. I carried Aila and a heavy bag and went to the hospital with her on my lap.

On the bus we heard the ticket-taker (cobrador) talking to the driver, saying that the bus’s elevator for people in wheelchairs was broken. The driver said that was great because he wouldn’t delay his route “picking up those wheelchair users.” That broke my heart, and my eyes started to fill with tears. But I wasn’t going to [me abater]. I continued on my way, believing that there are good people and bad people in this world and that I was going to give space to the good ones.

We arrived at the hospital and, you know, we were actually attended quickly (which doesn’t usually happen). Aila did exams and we were told to wait from 8:00 a.m. to 1:00 p.m. because the surgeon wasn’t there yet. Ok, fine, I wasn’t going to [me abater]. We sat in a chair, my arm already hurting from Aila’s weight. I decided to chat with a patient next to me and, you know, the time passed quickly. Before I knew it, it was already midday!

One of the nurse technicians looked at me and said, “Wow, mother, she’s special. Didn’t you think about interrupting the pregnancy?” I said no, that if I had done that I would have lost the best part of me!

The doctor arrived. I was turning blue from hunger and my blood pressure was very low. But Aila was without signs of an infection. We will return on Monday to see about changing the [gastrostomy] button.**

We arrived home well and calm. Despite all the obstacles we decided to be united and happy, and everything was fine.

 

*Aila has a gastrostomy tube, or G-tube, which allows her to take in nutrients through a tube connected directly to her stomach. G-tubes are for children who have significant difficulty chewing and swallowing food.
**A gastrostomy button, or G-button, is a replaceable component of the gastrostomy feeding system into which food, liquids, and medicines are inserted. G-buttons must be kept clean to avoid infection and replaced frequently.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s